Gestão Financeira Empresarial Eficiente Com 6 Dicas

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Reddit
Tumblr

A gestão financeira empresarial é um dos aspectos mais importantes para o sucesso de qualquer negócio.

Ela envolve o planejamento, a organização, o controle e a análise das atividades financeiras da empresa, visando maximizar os resultados e minimizar os riscos.

Uma boa gestão financeira empresarial pode fazer a diferença entre o lucro e o prejuízo, entre o crescimento e a estagnação, entre a sobrevivência e a falência.

Mas como fazer uma gestão financeira empresarial eficiente? Quais são as melhores práticas e ferramentas para isso?

Neste artigo, vamos te dar 6 dicas que podem te ajudar a melhorar a gestão financeira do seu negócio. Acompanhe!

Você sabia que, segundo o IBGE, cerca de 60% das empresas brasileiras fecham as portas antes de completar cinco anos de atividade?

E que, entre as principais causas desse alto índice de mortalidade, estão os problemas de gestão financeira empresarial?

Isso mostra como é fundamental ter um controle rigoroso das finanças do seu negócio, desde o início até a maturidade.

A gestão financeira empresarial é responsável por garantir que a empresa tenha recursos suficientes para operar, investir, crescer e se manter competitiva no mercado.

Mas o que é, afinal, gestão financeira empresarial? E como fazer isso de forma eficiente? É o que vamos ver a seguir.

O que é gestão financeira empresarial?

O que é gestão financeira empresarial
O que é gestão financeira empresarial

Gestão financeira empresarial é o conjunto de ações e decisões relacionadas ao uso e à obtenção de recursos financeiros pela empresa.

Ela envolve desde a definição dos objetivos financeiros, até a execução das estratégias para alcançá-los.

A gestão financeira empresarial abrange diversas áreas, tais como:

  • Contabilidade: registra e organiza as informações financeiras da empresa, gerando relatórios e demonstrativos contábeis.
  • Tesouraria: administra os recursos disponíveis no caixa da empresa, realizando os pagamentos e recebimentos, e gerenciando o fluxo de caixa.
  • Orçamento: planeja e acompanha as receitas e despesas da empresa, estabelecendo metas e limites para cada área ou projeto.
  • Análise financeira: avalia o desempenho financeiro da empresa, calculando indicadores e índices de rentabilidade, liquidez, endividamento, entre outros.
  • Financiamento: busca e negocia fontes de captação de recursos para a empresa, seja por meio de empréstimos, financiamentos, investidores, etc.
  • Investimento: aloca os recursos da empresa em ativos que possam gerar retorno, seja na própria operação, seja em aplicações financeiras, participações societárias, etc.

A gestão financeira empresarial deve estar alinhada com a missão, a visão e os valores da empresa, bem como com o seu plano de negócios e o seu planejamento estratégico.

Ela deve ser feita de forma integrada com as demais áreas da empresa, como marketing, vendas, produção, logística, recursos humanos, etc.

Por que a gestão financeira empresarial é importante?

Por que a gestão financeira empresarial é importante
Por que a gestão financeira empresarial é importante

A gestão financeira empresarial é importante porque ela influencia diretamente o sucesso ou o fracasso de um negócio.

Uma boa gestão financeira empresarial pode trazer diversos benefícios para a empresa, tais como:

  • Aumentar a lucratividade e o valor de mercado da empresa;
  • Melhorar a eficiência e a produtividade da empresa;
  • Reduzir os custos e as despesas da empresa;
  • Otimizar o uso dos recursos financeiros da empresa;
  • Ampliar as oportunidades de crescimento e expansão da empresa;
  • Aumentar a competitividade e a sustentabilidade da empresa;
  • Prevenir e solucionar problemas financeiros da empresa;
  • Melhorar a tomada de decisão e a gestão de riscos da empresa.

Por outro lado, uma má gestão financeira empresarial pode trazer diversos prejuízos para a empresa, tais como:

  • Diminuir a lucratividade e o valor de mercado da empresa;
  • Reduzir a eficiência e a produtividade da empresa;
  • Aumentar os custos e as despesas da empresa;
  • Desperdiçar os recursos financeiros da empresa;
  • Limitar as oportunidades de crescimento e expansão da empresa;
  • Diminuir a competitividade e a sustentabilidade da empresa;
  • Causar e agravar problemas financeiros da empresa;
  • Dificultar a tomada de decisão e a gestão de riscos da empresa.

Portanto, é essencial que a empresa tenha uma gestão financeira empresarial eficiente, que possa contribuir para o seu desenvolvimento e sucesso.

Como fazer uma gestão financeira empresarial eficiente?

Como fazer uma gestão financeira empresarial eficiente
Como fazer uma gestão financeira empresarial eficiente

Para fazer uma gestão financeira empresarial eficiente, é preciso seguir algumas boas práticas e dicas, que podem facilitar e melhorar o processo. Veja a seguir 6 dicas que podem te ajudar nessa tarefa:

1. Tenha um planejamento financeiro

Tenha um planejamento financeiro
Tenha um planejamento financeiro

O planejamento financeiro é o primeiro passo para uma gestão financeira empresarial eficiente.

Ele consiste em definir os objetivos financeiros da empresa, e traçar as estratégias e as ações para alcançá-los.

O planejamento financeiro deve levar em conta a situação atual da empresa, o seu histórico, o seu mercado, a sua concorrência, as suas oportunidades e as suas ameaças.

Ele deve ser realista, coerente e flexível, podendo ser revisado e ajustado conforme as mudanças internas e externas.

O planejamento financeiro deve conter, pelo menos, os seguintes elementos:

  • Projeção de receitas: estimativa das entradas de dinheiro na empresa, provenientes das vendas, dos serviços, dos investimentos, etc.
  • Projeção de despesas: estimativa das saídas de dinheiro da empresa, referentes aos custos, às despesas, aos impostos, aos juros, etc.
  • Projeção de fluxo de caixa: demonstração da movimentação de dinheiro na empresa, considerando as receitas e as despesas, e mostrando o saldo final de cada período.
  • Projeção de balanço patrimonial: demonstração dos bens, dos direitos e das obrigações da empresa, evidenciando o seu patrimônio líquido.
  • Projeção de demonstração de resultados: demonstração do resultado da empresa, apurando o lucro ou o prejuízo de cada período.
  • Análise de cenários: simulação de diferentes situações que podem afetar a empresa, tanto positiva quanto negativamente, e seus respectivos impactos financeiros.
  • Plano de ação: definição das atividades, dos responsáveis, dos prazos e dos recursos necessários para executar o planejamento financeiro.

O planejamento financeiro deve ser feito com base em dados confiáveis e atualizados, e deve ser acompanhado e monitorado constantemente, para verificar se os resultados estão de acordo com o esperado, e se há necessidade de correções ou melhorias.

2. Controle o fluxo de caixa

Controle o fluxo de caixa
Controle o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o registro de todas as entradas e saídas de dinheiro na empresa, em um determinado período de tempo.

Ele é um dos principais instrumentos de gestão financeira empresarial, pois permite acompanhar a situação financeira da empresa, e tomar decisões mais assertivas.

O controle do fluxo de caixa deve ser feito diariamente, registrando todas as movimentações financeiras da empresa, sejam elas previstas ou não.

O fluxo de caixa deve ser organizado por categorias, como receitas, custos, despesas, investimentos, etc., e por datas, como dia, semana, mês, ano, etc.

O controle do fluxo de caixa deve ser comparado com o planejamento financeiro, para verificar se há divergências ou inconsistências, e se há necessidade de ajustes ou medidas corretivas.

O controle do fluxo de caixa também deve ser usado para fazer projeções futuras, estimando

Claro, eu vou continuar o meu artigo sobre gestão financeira empresarial.

Aqui está a continuação:

  • estimando as receitas e as despesas futuras, e prevendo o saldo final de cada período. Isso ajuda a planejar e a antecipar as necessidades de caixa da empresa, evitando surpresas e imprevistos.

O controle do fluxo de caixa deve ser feito com cuidado e atenção, evitando erros, atrasos, omissões ou fraudes.

Ele deve ser conferido e auditado periodicamente, para garantir a sua confiabilidade e precisão.

3. Reduza os custos e as despesas

Reduza os custos e as despesas
Reduza os custos e as despesas

A redução dos custos e das despesas é uma forma de melhorar a gestão financeira empresarial, pois aumenta a margem de lucro da empresa, e permite que ela tenha mais recursos para investir e crescer.

Os custos são os gastos relacionados à produção ou à prestação de serviços da empresa, como matéria-prima, mão de obra, energia, etc.

As despesas são os gastos relacionados à administração e à operação da empresa, como aluguel, salários, impostos, propaganda, etc.

Para reduzir os custos e as despesas, é preciso fazer uma análise detalhada de cada item, e identificar quais são os que podem ser eliminados, reduzidos, substituídos ou otimizados.

Algumas dicas para isso são:

  • Negociar com os fornecedores, buscando melhores condições de preço, prazo e qualidade;
  • Renegociar com os clientes, buscando aumentar o volume de vendas, o ticket médio e a fidelização;
  • Renegociar com os bancos, buscando reduzir as taxas de juros, as tarifas e os encargos financeiros;
  • Revisar os contratos de aluguel, de energia, de telefonia, de internet, etc., buscando reduzir os valores ou trocar por opções mais vantajosas;
  • Revisar os processos produtivos e operacionais, buscando eliminar desperdícios, retrabalhos, falhas, etc.;
  • Revisar as políticas de recursos humanos, buscando reduzir o turnover, o absenteísmo, as horas extras, etc.;
  • Revisar as políticas de marketing, buscando otimizar o retorno sobre o investimento, e focar nas estratégias mais eficazes;
  • Revisar as políticas de estoque, buscando reduzir o excesso ou a falta de mercadorias, e evitar perdas, roubos, danos, etc.

A redução dos custos e das despesas deve ser feita com critério e responsabilidade, sem comprometer a qualidade, a segurança e a satisfação dos clientes, dos funcionários e dos demais stakeholders da empresa.

4. Acompanhe os indicadores financeiros

Acompanhe os indicadores financeiros
Acompanhe os indicadores financeiros

Os indicadores financeiros são medidas que expressam o desempenho financeiro da empresa, em relação a determinados aspectos ou objetivos.

Eles são essenciais para uma gestão financeira empresarial eficiente, pois permitem avaliar a situação financeira da empresa, e compará-la com os padrões de mercado, com a concorrência, ou com os resultados esperados.

Os indicadores financeiros podem ser divididos em quatro categorias principais:

  • Indicadores de rentabilidade: medem a capacidade da empresa de gerar lucro, em relação ao seu faturamento, ao seu patrimônio, ou ao seu investimento. Exemplos: margem de lucro, retorno sobre o ativo, retorno sobre o patrimônio, etc.
  • Indicadores de liquidez: medem a capacidade da empresa de honrar os seus compromissos financeiros, em relação aos seus recursos disponíveis. Exemplos: liquidez corrente, liquidez seca, liquidez imediata, etc.
  • Indicadores de endividamento: medem a dependência da empresa de recursos de terceiros, em relação aos seus recursos próprios. Exemplos: grau de endividamento, composição do endividamento, cobertura de juros, etc.
  • Indicadores de atividade: medem a eficiência da empresa na utilização dos seus recursos, em relação ao seu faturamento. Exemplos: giro de estoque, giro de ativo, prazo médio de recebimento, prazo médio de pagamento, etc.

O acompanhamento dos indicadores financeiros deve ser feito periodicamente, utilizando dados confiáveis e atualizados, e utilizando fórmulas e metodologias padronizadas.

Os indicadores financeiros devem ser analisados de forma conjunta e contextualizada, considerando as características, as particularidades e as metas da empresa.

5. Utilize ferramentas de gestão financeira empresarial

Utilize ferramentas de gestão financeira empresarial
Utilize ferramentas de gestão financeira empresarial

As ferramentas de gestão financeira empresarial são recursos que facilitam e melhoram o processo de gestão financeira da empresa, automatizando, integrando, organizando e analisando as informações financeiras da empresa.

As ferramentas de gestão financeira empresarial podem ser de diferentes tipos, tais como:

  • Softwares: programas de computador que permitem registrar, armazenar, processar e gerar relatórios financeiros da empresa, de forma rápida, segura e precisa. Exemplos: sistemas de contabilidade, de tesouraria, de orçamento, de análise financeira, etc.
  • Planilhas: documentos eletrônicos que permitem organizar, calcular e apresentar dados financeiros da empresa, de forma simples, prática e personalizada. Exemplos: planilhas de fluxo de caixa, de balanço patrimonial, de demonstração de resultados, de análise de cenários, etc.
  • Aplicativos: aplicativos para dispositivos móveis que permitem acessar, consultar e atualizar dados financeiros da empresa, de forma ágil, conveniente e remota. Exemplos: aplicativos de bancos, de cartões de crédito, de gestão de finanças pessoais, etc.
  • Dashboards: painéis visuais que permitem monitorar, acompanhar e visualizar os indicadores financeiros da empresa, de forma dinâmica, interativa e intuitiva. Exemplos: dashboards de rentabilidade, de liquidez, de endividamento, de atividade, etc.

A utilização das ferramentas de gestão financeira empresarial deve ser feita de forma adequada e estratégica, escolhendo as ferramentas que melhor se adaptam às necessidades, aos objetivos e ao porte da empresa.

As ferramentas de gestão financeira empresarial devem ser utilizadas como apoio e complemento à gestão financeira empresarial, e não como substituto ou dependência.

6. Capacite-se e atualize-se sobre gestão financeira empresarial

Capacite-se e atualize-se sobre gestão financeira empresarial
Capacite-se e atualize-se sobre gestão financeira empresarial

A capacitação e a atualização sobre gestão financeira empresarial são fundamentais para uma gestão financeira empresarial eficiente, pois permitem adquirir e aprimorar os conhecimentos, as habilidades e as competências necessárias para gerir as finanças da empresa, de forma profissional e qualificada.

A capacitação e a atualização sobre gestão financeira empresarial podem ser feitas de diversas formas, tais como:

  • Cursos: cursos presenciais ou online que oferecem conteúdos teóricos e práticos sobre gestão financeira empresarial, abordando conceitos, técnicas, ferramentas, casos, etc. Exemplos: cursos de graduação, de pós-graduação, de extensão, de aperfeiçoamento, etc.
  • Livros: livros impressos ou digitais que trazem informações e orientações sobre gestão financeira empresarial, abrangendo temas, autores, metodologias, etc. Exemplos: livros de referência, de especialistas, de best-sellers, etc.
  • Artigos: artigos publicados em revistas, jornais, blogs, sites, etc., que apresentam novidades, tendências, dicas, experiências, etc., sobre gestão financeira empresarial. Exemplos: artigos acadêmicos, de opinião, de notícias, de entrevistas, etc.
  • Eventos: eventos presenciais ou online que reúnem pessoas e organizações interessadas em gestão financeira empresarial, promovendo debates, palestras, workshops, networking, etc. Exemplos: eventos de associações, de instituições, de empresas, etc.

A capacitação e a atualização sobre gestão financeira empresarial devem ser feitas de forma contínua e consistente, buscando sempre se manter informado, atualizado e preparado para os desafios e as oportunidades da gestão financeira empresarial.

Conclusão

A gestão financeira empresarial é um dos fatores determinantes para o sucesso de qualquer negócio.

Ela envolve o planejamento, a organização, o controle e a análise das atividades financeiras da empresa, visando maximizar os resultados e minimizar os riscos.

Veja Também, Como Fazer Uma Gestão Financeira da Sua Empresa

Neste artigo, vimos 6 dicas para fazer uma gestão financeira empresarial eficiente, que são:

  • Tenha um planejamento financeiro;
  • Controle o fluxo de caixa;
  • Reduza os custos e as despesas;
  • Acompanhe os indicadores financeiros;
  • Utilize ferramentas de gestão financeira empresarial;
  • Capacite-se e atualize-se sobre gestão financeira empresarial.

Esperamos que essas dicas possam te ajudar a melhorar a gestão financeira do seu negócio, e a alcançar os seus objetivos financeiros.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com os seus amigos e deixe a sua opinião nos comentários.

Obrigado pela leitura! 😊

Por Lazaro Silva

Por Lazaro Silva

Especialista em Marketing Ditigal e Analista de Sistemas

Compartilhe este post: